1. Diseño y Comunicación >
  2. Publicaciones DC >
  3. Actas de Diseño Nº1 >
  4. O Design na Indústria Moveleira do Brasil

O Design na Indústria Moveleira do Brasil

De Almeida Lourenço, Andréa

Actas de Diseño Nº1

Actas de Diseño Nº1

ISSN: 1850-2032

I Encuentro Latinoamericano de Diseño "Diseño en Palermo" Comunicaciones Académicas, Agosto 2006, Buenos Aires, Argentina

Año I, Vol. 1, Agosto 2006, Buenos Aires, Argentina. | 265 páginas

descargar PDF ver índice de la publicación

Ver todos los libros de la publicación

compartir en Facebook


Licencia Creative Commons Esta obra está bajo una Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional

Este artigo traz um levantamento sobre a indústria moveleira do Brasil e seus principais pólos industriais, que localizam-se principalmente na região centro–sul do país, em torno de sete pólos regionais. Faz-se um comparativo entre as micro e pequenas empresas brasileiras e as médias e grandes, assim como seus potenciais de exportação e mercado consumidor.

O setor moveleiro no Brasil é constituído basicamente pelas pequenas e médias empresas, sendo um forte consumidor dos recursos naturais renováveis, como a madeira ou chapas de madeira reconstituída, visto que a madeira é o insumo básico dessas empresas. Elas geralmente utilizam equipamentos com poucos recursos, o que reduz a sua escala de produção. Já as grandes e médias, utilizam equipamentos automatizados com plataformas de projetos em CAD/CAM (projetos auxiliados por computador), contratando designers para aumentar as suas linhas de produtos.

A base florestal brasileira contempla não somente florestas nativas, mas também florestas plantadas e cultivadas, provenientes de reflorestamentos. O crescimento da utilização de madeiras provenientes dessas florestas cultivadas deve-se principalmente ao fato da restrição à exportação da madeira bruta, pois em alguns países há proibição desse tipo de insumo, fazendo com que as fibras dessas madeiras transformem-se em matéria-prima de chapas produzidas industrialmente, sobretudo o MDF (medium density fiberboard), e não mais a madeira bruta, para a fabricação da maioria dos móveis brasileiros.

Com o aumento nas exportações, a indústria desenvolveu sua capacidade de produção melhorando significativamente a qualidade dos seus produtos. Assim, a utilização de tecnologias mais avançadas, matérias-primas mais sofisticadas aliadas à maior qualidade dos produtos, têm promovido a produção de móveis da indústria brasileira.

É destacada também no artigo a tendência do design brasileiro, como a falta de um design que traduza fielmente a cultura nacional, suas fontes de inspiração e de criação de novos produtos e suas limitações dentro do processo de produção. É feito também um levantamento dos principais materiais utilizados pelas indústrias, como por exemplo o compensado e o MDF, e a utilização do pinus e eucalipto como madeira de reflorestamento, comentando-se um pouco sobre cada um deles, sobre o tipo de resíduo que é gerado, como cavacos e pó de serragem, e o que está sendo feito para não haver desperdícios desses materiais e nem poluição no meio ambiente.

Mostra que com o crescimento da conscientização de um desenvolvimento sustentável com qualidade de vida, o Ecodesign traz novas tendências e rumos para o design de móveis, tanto em materiais como em tecnologias, não só no Brasil, mas em todo o mundo. O uso de materiais e processos alternativos nessa indústria vem suprindo aos poucos as necessidades de produtos projetados levando em consideração uma produção mais limpa.


O Design na Indústria Moveleira do Brasil fue publicado de la página 190 a página190 en Actas de Diseño Nº1

ver detalle e índice del libro