1. Diseño y Comunicación >
  2. Publicaciones DC >
  3. Actas de Diseño Nº6 >
  4. Design

Design

Anastassakis, Zoy

Actas de Diseño Nº6

Actas de Diseño Nº6

ISSN: 1850-2032

III Encuentro Latinoamericano de Diseño "Diseño en Palermo" Auspicios. Resúmenes de conferencias. Actividades Tercer Plenario del Foro de Escuelas de Diseño. Propuestas. Conclusiones. Apuntes.

Año III, Vol. 6, Marzo 2009, Buenos Aires, Argentina. | 261 páginas

descargar PDF ver índice de la publicación

Ver todos los libros de la publicación

compartir en Facebook


Licencia Creative Commons Esta obra está bajo una Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional

Partindo de alguns questionamentos surgidos durante a pesquisa para a dissertação de mestrado que realizei em um departamento de antropologia social, e de algumas discussões ocorridas em classe, no curso de extensão que ministrei na ESDI/UERJ e na PUC/Rio, e ancorando- me na leitura dos antropólogos Alfred Gell e Daniel Miller, pretendo discutir as possibilidades de uma ‘antropologia do design'.
Na dissertação, pesquisei sobre o Centro Nacional de Referência Cultural, órgão de pesquisa e ação em cultura
popular criado na cidade de Brasília, em 1975, pelo designer Aloísio Magalhães. Se, em um primeiro momento, a pesquisa sugeria que o CNRC era parte da trajetória das políticas de patrimônio cultural, logo percebi outras vinculações teórico-intelectuais do órgão, notadamente sua relação de conseqüência direta com o ideário de um projeto de design nacional gestado por Magalhães, pioneiro da institucionalização do design moderno no Brasil.
A percepção das relações do CNRC com uma certa compreensão do design levou-me à investigação de quais
seriam as bases onde se ancora essa profissão. A fim de investigar possíveis relações entre antropologia e design montei um curso de extensão que questionaria como os homens se relacionam com as ‘coisas’. Se a antropologia nos ensina a observar e buscar compreender as relações humanas, acredito que ela possa contribuir para o enriquecimento da prática teórica e projetual do designer.
As discussões acerca da cultura material, seja do pontode- vista do design ou da antropologia, levam-me a apostar na possibilidade de uma ‘antropologia do design’, ou seja, um investimento no sentido de pensar antropologicamente como se estabelece a prática do design.
As perguntas que faço são: de que modo se relacionam aqueles que fazem coisas que se prestam a um lugar nas sociedades industriais contemporâneas? Que relações estabelecem esses profissionais –e essa profissão
Esta conferencia fue dictada por Zoy Anastassakis (Brasil) el jueves 31 de julio en el Tercer Encuentro Latinoamericano de Diseño 2008.
Facultad de Diseño y Comunicación, Universidad de Palermo, Buenos Aires, Argentina.


Design fue publicado de la página 104 a página104 en Actas de Diseño Nº6

ver detalle e índice del libro