Estudiantes Internacionales Estudiantes Internacionales en la Universidad de Palermo Reuniones informativas MyUP
Universidad de Palermo - Buenos Aires, Argentina

Facultad de Diseño y Comunicación Inscripción Solicitud de información

  1. Diseño y Comunicación >
  2. Publicaciones DC >
  3. Actas de Diseño Nº4 >
  4. Moda e arte: Releitura dos aspectos artísticos, bi e tridimensionais na criação do design de moda

Moda e arte: Releitura dos aspectos artísticos, bi e tridimensionais na criação do design de moda

Farias Medeiros, Maria de Jesus

Actas de Diseño Nº4

Actas de Diseño Nº4

ISSN Impresión 1850-2032
ISSN Online: 2591-3735
DOI: https://doi.org/https://doi.org/10.18682/add.vi4

II Encuentro Latinoamericano de Diseño "Diseño en Palermo" Comunicaciones Académicas. Julio y Agosto 2007, Buenos Aires, Argentina

Año II, Vol. 4, Marzo 2008, Buenos Aires, Argentina. | 257 páginas

descargar PDF ver índice de la publicación

Ver todos los libros de la publicación

compartir en Facebook


Licencia Creative Commons Esta obra está bajo una Licencia Creative Commons Atribución-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional

Aspectos metodológicos

O ensino do eixo curricular de História da Indumentária, da Moda e da Arte compõe uma das integrações básicas para a formação do aluno de graduação tecnológica em Estilismo em Moda da Faculdade Católica do Ceará

- Marista Fortaleza, no primeiro e segundo semestres.

A integração destes conteúdos forma o esteio interdisciplinar com outros específicos, notadamente a criação, o desenho de moda, tecnologias têxtil e de confecção, modelagens plana, computadorizada e tridimensional.

O estudo dos conteúdos da história da moda, são desenvolvidos de modo dinâmico, motivando a teoria e a prática dos eixos na realização de protótipos de forma experimental, realizar o planejamento traçado.

Como objetivo motiva-se a releitura imagética de diversos materiais impressos, de periódicos, análises de escultura, pintura e arquitetura fundamentada no conteúdo de história, para se realizar a confecção de protótipos

- bonecas em miniaturas. A metodologia trata do planejamento e pesquisa mediante um cronograma estabelecido para realizar a confecção das peças. Os aspectos bi e tridimensionais são contemplados vislumbrando à perfeita proporcionalidade das formas demonstradas no exercício de modelagens, com o propósito de construir a forma ao objeto. Assim socializa-se o estudo teórico com a prática projetual, avaliando as funções estéticas e simbólicas através de releituras da moda, observada como fenômeno sócio-cultural, vivenciado pelas sociedades ocidentais.

Diante da exposição entende-se que a moda do vestuário contemporâneo busca inspiração re-visitadando através dos períodos históricos resgatar elementos, formas e silhuetas do vestuário. Assim dá-se a construção de arquétipos que remetem ao estilo das roupas e sevem de inspiração de modo recorrente, como suporte para o sistema de moda proceder os ditames das tendências, valendo como referência justificar o processo criativo, reinvenção de formas na produção de coleções de moda.

Interação moda e arte Moda-arte está presente nas relações humanas no tempo e no espaço, permitindo compreender as relações sociais, políticas, econômicas e culturais desde a antiguidade na formação do processo civilizatório ocidental, revelando o estilo do vestuário e o modo de vida das sociedades.

Neste aspecto registra-se desde a antiguidade, a necessidade do homem da caverna cobrir seu corpo cuja solução foi o uso de peles de animais. No decorrer da história as peles exóticas de animais felinos, de lince, alce, arminho, zibelina entre outras, tornou-se objeto de desejo, agregando simbologia e poder de distinção ao usuário, denotando a expressão e preferência pelo luxo.

Flügel (1983) aborda como delineamento psicológico três razões principais que denotam o interesse pelo vestuário, percebido pelas motivações de decoração, pudor e a proteção. Seria a decoração e o enfeite, razão e preferência para exaltar o belo, o estético, o artístico? O espectro talvez se confirme pelos registros catalogados como manifestação artística que o homem antigo promoveu, ao expressar-se desde a antiguidade na produção da pintura, da escultura e arquitetura, nomeadas “artes maiores”. No mundo antigo povoado pela cultura clássica greco-romana, o sentido de decoração talvez se traduza pela estética com exaltação a beleza. Durante a Idade Média o gosto pelo ‘belo’ revela-se na opulência e ostentação do luxo proporcionando poder e riqueza, com destaque para a nobreza, clero e burguesia. À época acentua-se uma relação de desigualdade social, motivado pela situação de miséria tomando grandes proporções durante o medievo. Prevalece a suntuosidade da indumentária clerical da Igreja Romana com caráter divino, atribuído pela população. A classe desfavorecida - o povo, adotou o desprendimento em função da cultura teocêntrica, numa atitude que interferiu diretamente o modo de vida, revelando a sobriedade e simplicidade do estilo das vestes comuns. Neste cenário a matéria prima para confecção do vestuário alcançou maior tecnologia na tecelagem dos têxteis de lã, cânhamo, rami, algodão, linho e seda. A partir deste período a relação moda-arte tem como sinergia à linha da verticalidade na forma da roupa. Vale ressaltar que o sentido da verticalidade na arquitetura gótica marcou a elevação como um zênite na construção de templos suntuosos a exemplo das catedrais.

Tal analogia se repete na arquitetura renascentista contemplado pela linha da horizontalidade. Sob o efeito das cúpulas e arcos o estilo do vestuário toma a dimensão volumosa, armada, circular, sustentada em armações com barbatanas em formas amplas e abobadas.

Lipovetsky (1989), afirma que a moda no ocidente, não existiu em todo tempo, nem em todo lugar, sendo que a moda se estabeleceu no continente europeu a partir da segunda metade do século XIV, demonstrando características nacionais, possíveis de se identificar os estilos das monarquias estabelecidas. Porém o gosto pelo consumo de produtos de moda era mais diversificado, decorrente do abastecimento das rotas mercantilistas traçadas entre o Ocidente e o Oriente. Para Strickland (2004) a Idade Média foi assim denominada por se situar entre dois picos de glória artística: o período Clássico e o Renascimento, seguindo-se o Barroco e o Rococó.

Assim a retrospectiva histórica trata do embasamento teórico discutido através de releituras sobre a ótica de moda e arte delineando o objeto apresentado. Neste foco a abordagem sobre a moda tem maior destaque através da representação tridimensional projetada na construção dos protótipos.

Moda e arte - uma conexão possível Souza (1987) conceitua a moda, como seqüência de variações constantes e lhe atribui caráter coercitivo. Neste aspecto remete uma abordagem sociológica amparada na psicologia social e estética. A moda serve à estrutura social e acentua as diferenças de classes, produz afirmação e individualidade, exprime idéias e sentimentos por tratar- se de uma linguagem que comunica e traduz expressão artística através dos elementos subjetivos intrínsecos na representação da indumentária. Neste contexto Souza estabelece uma indagação. “É a moda uma arte?” Moura (1994) interage associando a relação moda-arte uma conexão possível e explica esta relação sob quatro aspectos discursivos: . Objeto de arte x objeto de moda - compreende o “reflexo do seu tempo e de sua sociedade”, por apresentarem os mesmos elementos de composição visual “formas, linhas, cores, volumes e texturas”, portanto ambos são objetos abertos e sujeitos à recriação, releitura e interpretação. Deste modo, costureiros, designers se apropriam das referências artísticas para imprimir expressões da arte recriando e estilizando formas, inovando materiais, promovendo interferências e técnicas para atender a demanda de consumo na moda.

Assim também personificam sua marca criativa.

. A moda na arte - refere-se aos registros artísticos de obras de arte em forma de afrescos, pinturas, gravuras, esculturas, fashion-plates que retratam os modos e modas através dos períodos históricos. Sob este aspecto desenvolveu-se a ação da pesquisa para elaboração dos protótipos.

. A arte na moda - trata a arte como fonte de inspiração para desenvolver a criação na moda. A releitura de elementos artísticos clássicos, modernos, pós-modernos são transferidos para referendar o processo na criação de motivos têxteis ou expressar a silhueta de um determinado período - renascentista, barroco, rococó, elizabetano, vitoriano, eduardiano, belleepoquiano. Essas releituras remetam ao estilo retrô, motivando a dinâmica na moda.

. A moda-arte - tem como afirmação uma prática secular onde diversos movimentos artísticos estabelece de forma aberta, um novo canal para revelar a modaarte.

Dentre os movimentos de grande expressão identificam-se o estilo Glasgow (Grã-Bretanha), com destaque para um grupo feminino conhecido por Sister Studios; Arts and Crafts, movimento democrático artístico que deu visibilidade à produção industrial, exaltando a moda através de impressões com motivos e padronagens aplicados aos têxteis. Desde o início do Modernismo a condição moda-arte foi favorecida, associando-se a contribuição de expressões artísticas da Escola de Bauhaus, na formação de designers notáveis que canalizaram seus conhecimentos e interagiram com a moda de figurinos cênicos; as expressões artísticas Surrealista, a Wearable-Art, Op- Art, Pop-Art, entre outros movimentos que marcaram o citacionismo influenciando a moda contemporânea.

Conclusão A interação moda e arte forma a conexão fundamental para estimular a pesquisa, remete ao processo criativo oportunidade para exercitar a experimentação e reinvenção do design no produto de moda. Desta forma o profissional devidamente exercitado e estimulado, torna- se motivado para o fazer inovações e mudanças na sua percepção criativa, tornar-se mais atuante e competitivo para exercer suas atribuições e competências.

Nesta perspectiva os métodos aplicados no ensinoaprendizagem na sala de aula, no eixo História da Moda, inter-age com a interdisciplinaridade necessária à formação profissional. Assim contabiliza-se resultados satisfatórios contemplados ao conteúdo teórico-prático, através da elaboração de protótipos confeccionados sob a avaliação dos seus aspectos bi e tridimensionais propostos.

Referências bibliográficas

- Lipovetsky, Gilles. O império do efêmero: a moda e seu destino nas sociedades modernas. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

- Moura, Mônica. Arte e moda. Universidade Aberta - moda, cultura e comunicação. Fascículo nº4, pág. 4 e 5. Fortaleza, Fundação Demócrito Rocha, 1994.

- __________ Estilos de Arte, Estilos de Moda. Universidade Aberta

- moda, cultura e comunicação. Fascículo nº 12, pág.4 e 5. Fortaleza, Fundação Demócrito Rocha, 1995.

- Seeling, Charlotte. Moda - o século dos estilistas - 1990/1999. Colônia: Könneman, 1999.

- Souza, Gilda de Mello e. O espírito das roupas: a moda no século dezenove. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.

- Strickland, Carol. Arte comentada: Da Pré-História ao pós-moderno. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004.

Maria de Jesus Farias Medeiros. Docente da Faculdade Católica do Ceará - Marista Fortaleza. Graduada em Estilismo e Moda, Especialista em Metodologia do Ensino em História.


Moda e arte: Releitura dos aspectos artísticos, bi e tridimensionais na criação do design de moda fue publicado de la página 169 a página170 en Actas de Diseño Nº4

ver detalle e índice del libro